Durante a época de seca na região amazônica, é normal o nível de humidade do ar abaixar, e a poeira tomarem conta do ambiente, exigindo uma manutenção redobrada das casas. Nas áreas públicas não é diferente.

 

Visando manter o paço municipal de Vilhena com aparência agradável e com condições de trabalhos, as equipes de limpeza têm desenvolvido, de forma consciente e organizada, o uso de água para manutenção através de uma recuperação de um poço artesiano.

 

Segundo o coordenador do paço municipal, Valter Melo, agora, o paço não depende da água do Serviço Autônomo de Águas e Esgotos (SAAE).

 

“Os poços artesianos têm sido vistos como forma de economia nas contas de água, diminuindo a dependência da companhia de fornecimento local. E, para realizar o serviço de limpeza, conseguimos reativar um poço artesiano da prefeitura com ajuda do SAAE, que há muito tempo estava sem funcionamento. Com essa reativação, além da economia para o município, abastecemos toda a prefeitura e podemos desenvolver nossas atividades de limpeza com responsabilidade e cuidado”, destaca Melo.

 

O secretário municipal de administração, Miguel Câmara, que é o responsável pela equipe, afirmou que esse trabalho é essencial e vai continuar. “O paço é a cara da administração. As pessoas vêm aqui em grande fluxo e têm que ter uma visão de zelo e limpeza. Afinal, quando a casa é limpa, você conhece quem é o dono”, encerrou o secretário.

 

Secretaria Municipal de Comunicação (SEMCOM)