Servidores conquistaram, já na primeira reunião, redução de 4 para 2 anos na mudança de referência

A comissão de implantação do Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCs), criada no dia 12 de dezembro, já iniciou os trabalhos de estudo e debates sobre os benefícios que entrarão em vigor para os servidores efetivos da Prefeitura de Vilhena em 2020. O primeiro encontro foi realizado na sede do Sindicato dos Servidores Municipais do Cone Sul de Rondônia (Sindsul) nesta terça-feira, 17, e deu resultados positivos: a redução do período de 4 para 2 anos na mudança de referência vai passar a vigorar.

“Vamos valorizar aqueles servidores que ganham menos. Esse é o meu principal compromisso na implantação do plano. Há muitos anos os servidores estão sendo esquecidos pelas administrações, mas, agora vai! O plano vai ser realidade. Aquilo que for possível na atual conjuntura, será feito”, explica o prefeito Eduardo Japonês.

De acordo com o secretário municipal de Administração, Welliton Oliveira, o início dos trabalhos foi proveitos. “Começamos a discutir os pedidos do Sindicato. Uma coisa já é certa: a redução de 4 para 2 anos na mudança de referência será implantada e passará a valer daqui para frente. Os servidores concordaram em ceder no pagamento de retroativos nessa questão, o que reduz significativamente o impacto financeiro do PCCs”, comenta.

Também foi debatida a implantação de uma gratificação para os servidores que têm os menores salários e que têm cursos de aperfeiçoamento em sua área de atuação, como forma de reconhecer seu investimento em estudos na carreira.

Além de Welliton, fizeram parte da reunião, a procuradora geral do município, Márcia Helena Firmino, a contadora Lorena Horbach, o responsável pelo setor de folha de pagamento da Prefeitura Bruno Stedile, e representantes das secretarias municipais de Obras, Saúde, bem como Câmara Municipal de Vereadores e Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae). O presidente do Sindsul, Wanderley Ricardo e sua vice, Sônia de Fátima, também acompanharam o encontro.

Wanderley se manifestou através de sua assessoria após a reunião, revelando que a presidência considerou o encontro animador. “A reunião foi de extrema importância e positiva. Esse primeiro passo é muito importante na implantação do Plano. A reunião serviu para apontarmos onde devemos focar e entendemos que devemos tratar os assuntos um por vez. Tudo que nós colocamos no Plano será discutido passo a passo”, garantiu.

O presidente do Sindsul pediu que a Comissão desse atenção aos estudos de impacto financeiro que serão causados na mudança de referência e também pelos reajustes anuais para todos os servidores, gratificação para o grupo ASD (Apoio de Serviços Diversos), gratificação para secretários escolares, implantação do PCCS dos Agentes de Saúde e gratificação de interiorização.

A Secretaria Municipal de Administração se comprometeu em apresentar os números pormenorizados de todas essas propostas até o dia 8 de janeiro, para que a comissão possa escolher quais delas passarão a valer já em 2020. O próximo encontro do grupo terá em pauta, além da apresentação dos estudos de Stedille, reajuste dos valores para auxílio alimentação.

A COMISSÃO – Criada através do decreto n° 48.043, assinado pelo prefeito Eduardo Japonês em 12 de dezembro de 2019, a comissão é composta por 12 servidores efetivos que representam o sindicato (Wanderley Ricardo, Everaldo Oliveira, Sônia de Fátima), a Câmara (Sales Luiz Junior), a Prefeitura (Welliton Oliveira, Bruno Stedile, Cristiane Anita Martins, Marcia Helena Firmino, Lorena Horbach, Edson Willian Braga e Ronaldo Azevedo) e o Saae (Sidinéia Alves).

 

Semcom